(47) 3361-3932        Seg - Sex: 9:00 - 18:00        [email protected]
Como evitar a erosão do solo na terraplenagem

Como evitar a erosão do solo na terraplenagem

A erosão do solo é um dos mais sérios problemas que o homem vem enfrentando na atualidade, principalmente pelo aumento constante e progressivo das áreas atingidas, sejam elas urbanas ou rurais, além das alterações nos recursos hídricos. Durante a realização de um projeto de terraplenagem é possível evitar que a erosão do solo aconteça através do desenvolvimento de um bom planejamento, além da análise das condições básicas para realizar cortes, escavações e aterros sem deslizamentos de terra.   

erosão do solo

É imprescindível que os estudos preliminares e também a execução do projeto sejam acompanhadas por um engenheiro, especialista da área. Um erro ainda bastante cometido, é avaliar somente o local onde será trabalhado, sem dar importância aos terrenos e obras vizinhas. É preciso ter uma visão global do entorno da obra, incluindo os terrenos vizinhos e suas adjacências, que podem sofrer com efeitos danosos de terraplanagens irregulares, como desabamentos e erosão do solo.

Leia também: Terraplenagem ou Terraplanagem? Saiba qual expressão usar

Em alguns países já vêm sendo elaboradas, aprovadas e aplicadas às leis do uso do solo, tanto para áreas rurais, como para áreas urbanas. Essas leis são conjuntos de dispositivos legais que orientam melhor o uso do solo. Nas áreas urbanas, regulamentam os trabalhos de terraplanagem de novos loteamentos, aberturas de novas ruas entre outros, para diminuir a fonte dos processos erosivos e, por consequência, a produção de sedimentos que serão depositados nas obras de drenagem urbana.

A erosão do solo traz consequências financeiras e patrimoniais para os empreendimentos e, muitas vezes pode ser irreparável. Esse problema pode ocorrer em todo tipo de obras civis, sejam elas de grande ou pequeno porte. Por isso, é importante levar a sério o processo de terraplenagem, não apenas como uma operação prévia de “limpeza” e preparo do terreno.

Em solos sedimentares, de composição arenosa, taludes e terrenos em aclive ou declive é constante a erosão do solo, resultado da ação de fortes chuvas. A ação mais utilizada para prevenção é a criação de curvas de nível, cortes ao longo do talude que captam a água que escorre pela terra, a fim de não deixar que esta crie velocidade e desagregue o solo, levando consigo sedimentos e abrindo valas.

Essa estabilização dos taludes são obras complementares, com a finalidade de proteger os taludes resultantes contra a erosão promovida pelas chuvas e contra possíveis escorregamentos. Essas obras normalmente são realizadas através de serviços de terraplenagem e medidas de proteção superficial através da revegetação. Na área de empréstimo usada como aterro, deve ser executada a remoção da camada superficial e o armazenamento do solo para, posteriormente, lançá-lo sobre o material de aterro, possibilitando uma recuperação imediata da vegetação. Nesse material devem ser feitos ensaios geotécnicos.

Leia também: Conheça os principais tipos de demolição e sua aplicação

Outros impactos ambientais podem ser minimizados a partir de atitudes simples do dia-a-dia, como proteger perímetros para reter sedimentos, usando calhas, canaletas e tapumes, e não deixar que os solos se contaminem com óleos, graxas e outros químicos geralmente usados no canteiro, pois eles podem chegar a lagos e rios ou atingir o lençol freático.

Com tudo, a prevenção é sempre o melhor remédio. Investir em um bom planejamento para evitar que a erosão do solo aconteça é muito melhor do que arcar com os custos do problema posteriormente. Gostou desse conteúdo? Compartilhe com seus amigos! Se ficou com dúvidas, comente, ficaremos felizes em ajudar! Veja outras dicas de terraplenagem.  

Deixe uma resposta

Fechar Menu